Responsável Técnico

Dr. Denis Valente | Cirurgião plástico

CREMERS 24617 | RQE 18465

Mitos e verdades sobre a cirurgia de aumento mamário

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, no Brasil, são realizadas mais de 1,7 mil cirurgias plásticas por dia, sendo o aumento mamário o mais realizado. Também segundo informações divulgadas pela ASAPS (Sociedade Americana de Cirurgia Plástica Estética), a cirurgia de aumento mamário ocupou a 1ª posição no ranking de procedimentos cirúrgicos mais realizados em 2010 (318.123 cirurgias), estando nesta posição há três anos consecutivos.

Embora seja um procedimento muito procurado e conhecido pelas pacientes, ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto. Com o propósito de esclarecer estes mitos, seguem  considerações  a respeito das dúvidas mais comuns quando o assunto são implantes mamários:

Mito: A colocação do implante mamário vai deixar meus seios muito redondos e artificiais

A seleção de um implante mamário é um processo muito importante e que requer avaliar cada paciente individualmente, considerando sua estrutura e características físicas, além de desejos e expectativas. Todos estes aspectos contribuem para que os resultados sejam mais naturais e satisfatórios.
Atualmente existem diferentes opções de formato, como os redondos e anatômicos, além de diferentes técnicas cirúrgicas, que permitem posicionar o implante em diferentes planos. Todos estes aspectos contribuem para o resultado final, que pode ser extremamente agradável. O mais importante é buscar a avaliação de um profissional médico.

Mito: Tenho medo que meus seios fiquem muito grandes

Existem diversas opções de implantes mamários disponíveis no mercado. A seleção do tamanho do implante requer avaliação médica e poderá ser ajustada à necessidade de cada paciente.

Mito: O implante de silicone é ideal para casos com excesso de flacidez nos seios

A colocação do implante mamário pode ser extremamente benéfica para pacientes que apresentem seios mais caídos, o qual chamamos de ptose, com excesso de flacidez. No entanto, esta é uma indicação muito específica, que requer avaliação médica. Dependendo do grau de flacidez, o cirurgião plástico pode optar pela associação de técnicas, tais como retirada de excesso de pele e colocação de implante mamário.
Vale destacar que, caso exista a intenção de engravidar em menos de dois anos após a colocação dos implantes mamários, o ideal é esperar. Isso porque as mamas se modificam durante a gestação, podendo ocorrer estrias e flacidez, o que exigiria procedimentos adicionais.

Mito: “quem tem implante mamário perde a sensibilidade nos seios”

É possível que ocorra tanto diminuição quanto exacerbação da sensibilidade, porém isso é normal nos primeiros dias após o procedimento e, com o tempo, a tendência é de que isso seja normalizado, porém, em pequeno percentual dos casos pode permanecer essas alterações.

Mito: “com próteses de silicone, não é mais possível amamentar”

Existe pouca interferência na amamentação entre mulheres com implantes mamários. As taxas de sucesso na amamentação são quase as mesmas em mulheres que não possuem implantes. O leite materno também é igual, sem qualquer tipo de alteração devido ao silicone. É importante deixar claro que o implante fica localizado abaixo da glândula mamária, portanto sem nenhum contato com o leite.

Voltar
× Fale Conosco no WhatsApp