Responsável Técnico

Dr. Denis Valente | Cirurgião plástico

CREMERS 24617 | RQE 18465

Lipoescultura (elevação glútea a moda brasileira)

Corpo enxuto, cintura fina, bumbum empinado e sem gordura localizada na região dos quadris. Cada vez mais pacientes e cirurgiões estão em busca de melhores resultados, em que o corpo é remodelado, ou seja, a silhueta é moldada e corrigida. Para isso foi desenvolvida  a lipoescultura.

Diferente da lipoaspiração, cujo objetivo é somente remover os depósitos de gordura acumulados na região dos quadris, culotes, braços, coxas, abdome, púbis, costas, joelhos e pescoço, a lipoescultura acontece retirando a gordura de uma região e injetando-a em outra para remodelar o corpo, preenchendo algumas áreas. O objetivo não é apenas ficar mais magra, mas sim esculpir o corpo desenhando as curvas e proporções.

Apenas indicada quando não se consegue retirar a gordura localizada por meio de dietas e exercícios físicos, a lipoescultura permite esculpir áreas da face e corpo, ou aumentar os glúteos. O objetivo da lipoescultura é proporcionar redução do volume de gordura corporal em áreas localizadas, como a barriga e, ao mesmo tempo, conferir melhor contorno em outras regiões, corrigindo imperfeições.

Nessa técnica é retirada a gordura do paciente por meio da lipoaspiração e injetada novamente para modificar o contorno de certas regiões. A duração desta cirurgia depende da quantidade de gordura e das áreas tratadas. Assim que a cirurgia acaba, o local é coberto com curativos para evitar a inflamação e as cicatrizes são pequenas e usualmente escondidas. Mesmo assim é importante salientar que existe a possibilidade de má cicatrização, infecções, reações à anestesia, ou até mesmo hemorragias sob a pele, causando inchaços. Por isso é fundamental escolher um profissional com o título de especialista em cirurgia plástica através do cadastro no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Como a gordura é do próprio corpo do paciente, não existe risco de rejeição. Entretanto uma porcentagem variáveldo que foi injetado é reabsorvido pelo organismo. Como uma parte da gordura será reabsorvida, o cirurgião plástico costuma injetar um pouco mais de gordura do que é necessário, para compensar esse processo esperado de reabsorção.

O pós-operatório é muito parecido com o da lipoaspiração e nos 3 meses inicias de pós-operatório não deve ser feito drenagem linfática na região que recebeu a aplicação de gordura, justamente para não intensificar a reabsorção. No primeiro mês, os inchaços e equimoses (marcas roxas), consequência da cirurgia, começam a melhorar. A cinta elástica modeladora pode ser indicada até pelo menos 15 dias. Nos próximos meses, segundo e terceiro, é comum a retração da pele. O efeito do contorno corporal só aparece mesmo em seis meses.

É importante evitar esforço por pelo menos um mês. Também evitar alguns medicamentos e não se expor ao sol por pelo menos oito semanas.

Voltar
× Fale Conosco no WhatsApp