Responsável Técnico

Dr. Denis Valente | Cirurgião plástico

CREMERS 24617 | RQE 18465

LIFTING DE FACE E PESCOÇO


Tecnicamente conhecida como ritidoplastia, a cirurgia da face é um procedimento cirúrgico que visa modificar sinais visíveis de envelhecimento no rosto e no pescoço tais como:
• Flacidez,
• Vincos profundos abaixo das pálpebras inferiores,
• Vincos profundos ao longo do nariz que se estende ao canto da boca,
• Gordura que tenha baixado ou tenha sido deslocada,
• Perda de tônus muscular causandor papada,
• Pele frouxa e excesso de depósitos de gordura sob o queixo e a mandíbula.

Essa cirurgia costuma envolver desde a área dos olhos até o pescoço. Existe um complemento a esta técnica que se chama frontoplastia e envolve a elevação da região da testa, porém desde o advento da Toxina Botulínica seu uso é cada vez menos frequente.

Existem cirurgias que podem ser associadas ao Lifting, as mais comuns são: Blefaroplastia que é a retirada de pele e bolsas de gordura em volta dos olhos, rinoplastia que é o remodelamento do nariz, bichectomia que é a diminuição da gordura das bochechas. Além disso procedimentos de rejuvenescimento facial como laser, peeling químico, microdermoabrasão, skinbooster, preenchimento, bioplastia ou microagulhamento.

BICHECTOMIA: CIRURGIA PARA REDUZIR BOCHECHAS


Essa cirurgia consiste na remoção da Bola de Bichat ou Corpo Adiposo Bucal (Buccal Fat Pad, em inglês). Essa estrutura anatômica consiste em uma massa de gordura presente na face, na região da bochecha.

Quando aumentada, essa gordura pode alterar o formato do rosto, deixando-o arredondado.
bichectomia porto alegre rs brasil cirurgia plastica cirurgiao plastico denis valente bochecha bochechasA cirurgia para retirar o excesso da Bola de Bichat é chamada de Bichectomia e pode ser feita com anestesia local, com ou sem sedação. A incisão é por dentro da boca, sem cicatrizes aparentes, e o procedimento dura em torno de 40 minutos.
Cicatriz de 1 a 2cm, por dentro da boca por onde é feita a remoção do excesso de gordura.
O processo de recuperação é muito semelhante ao de extração de um dente do siso.
O inchaço é variável de indivíduo para indivíduo, mas normalmente dura em torno de uma semana, sendo mais intenso nos 3 primeiros dias.
Nessa primeira semana, o ideal é fazer um repouso relativo, evitando esforço físico e exposição ao sol.

PREENCHIMENTO DE LÁBIOS


O aumento labial é realizado com substâncias chamadas preenchedores. Eles se dividem principalmente entre temporários e definitivos. Esse tratamento costuma ter 2 principais objetivos:

1. Restaurar o volume labial perdido ao longo do tempo (bem como as rugas ao redor da boca em indivíduos que fumam ou tomam muito chimarrão)

2. Realçar os contornos dos lábios em pessoas que nunca tiveram lábios mais proeminentes.

Logo após a sessão do tratamento, pode ocorrer um leve inchaço na área, que desaparece em alguns dias e pode ser minimizado com a aplicação de gelo. Há também o risco de hematomas, o que exige a aplicação de um creme específico.
O preenchedor labial mais utilizado atualmente, o ácido hialurônico, é uma substância natural de nosso corpo e não costuma causar reações indesejadas definitivas. O ácido hialurônico além de eliminar algumas linhas de expressão, atrai moléculas de água para induzir a formação do próprio colágeno de cada pessoa produzindo hidratação e sustentação local.

CIRURGIA ÍNTIMA: QUANDO FAZER?


1. excesso do tamanho dos pequenos lábios vaginais, estes estão geralmente maiores que os grandes lábios vaginais.
– o excesso de pequenos lábios atrapalha a relação sexual, na hora da penetração.
– estes, muitas vezes estão bem escurecidos e o volume aumentado provoca uma maior umidade e odores indesejados.

2. excesso do tamanho dos grandes lábios vaginais, trazendo um volume maior na calcinha, biquíni e roupas de ginástica.
– causam também aumento da umidade da região, favorecendo crescimento de fungos e odores.

3. monte de Vênus volumoso ( região pubiana), são mais problemas estéticos nas vestimentas, saias justas, shorts, calças de ginástica. É um excesso de gordura localizada.

4. períneo, com cicatrizes inestéticas, por partos normais anteriores e as vezes, com excesso de pele pela episiotomia ( corte na vulva, para facilitar o parto normal )

5. introito vaginal alargado, por flacidez  deste anel muscular.

6. alargamento do canal vaginal, devido também a partos normais anteriores, com flacidez maior da musculatura do períneo posterior.

7. excesso de pele ao redor do ânus, por esforços contínuos para evacuar, hemorroidas antigas, chamadas de plicomas anais.
– estes acima favorecem a mulher ficar com a calcinha suja de fezes, sendo bem desagradável e constrangedor para a mulher.

8. excesso do tamanho do clítoris, por vezes pelo uso de anabolizantes em academias ( adquiridos), ou hereditários.
– pode ser reduzido parcialmente, para não perder a sensibilidade.

9. clítoris embutido dentro do prepúcio, que é a continuidades dos pequenos lábios vaginais. Pode ficar totalmente escondido, prejudicando a sensibilidade.
– há uma redução parcial do prepúcio do clítoris, para expor o mesmo que está escondido ( “como cirurgia de fimose que expõe a glande parcialmente”).

10. alterações emocionais, desconfortos sexuais, vergonha dos genitais, corrimentos de repetição, também indicam esta realização da cirurgia.

Estas cirurgias podem ser realizadas sob anestesia local e sedação leve.

OTOPLASTIA ( plástica de orelhas)


A cirurgia das orelhas ou Otoplastia, costuma ser indicada quando:
1. as orelhas forem mais afastadas do crânio ( de abano )
2. quando elas estiverem bem abertas ( de abano )
3. quando as orelhas forem mais lisas, sem todas as dobras naturais
4. apelidos pejorativos desde a infância, sofrer bullying na escola ou trabalho, complexos internos da pessoa desde a adolescência, prejudicando principalmente as meninas por terem que “prender” os cabelos nas aulas de educação física, evitar de cortar os cabelos, homens usarem cabelos longos fora da moda e tantos mais….
Sobre a cirurgia:
1. a partir dos 5 a 6 anos, justamente para prevenir os apelidos e bullyings. As orelhas nesta idade já tem o tamanho e o formato do adulto
2. entre 5 aos 12 anos, é feita em hospital, sob uma anestesia geral, mais leve
3. a partir do 12 anos, pode ser realizada com anestesia local com ou sem uma sedação bem leve, ambulatorialmente ou clínica
4. tanto em crianças como em adultos, tem alta após algumas horas
5. não é uma cirurgia invasiva, é relativamente rápida
6. fica com faixa compressora na cabeça por 4 dias, para evitar dores, hematomas ou desdobrar as orelhas ao dormir
7. a incisão fica na parte posterior das orelhas.

× Fale Conosco no WhatsApp